Conselhos e Críticas

“Existem duas situações em que os conselhos são bem vindos: Quando for questão de vida ou morte ou quando for solicitado”.

Este provérbio oriental nos dá uma ideia dos grandes “males” que o conselho desproporcional à circunstância pode provocar.

Na maioria das vezes, sem perceber e em muitos casos sem intenção, no afã de colaborar, “soltamos” alguns “sábios” conselhos às pessoas que não pediram nossa opinião e nem estão preparadas para ouvir.

Você já percebeu que muitas situações ficaram ainda piores depois que alguém dá um conselho? Isso acontece porque é muito difícil opinar quando não estamos vivenciando a mesma realidade do outro. Ouvir uma versão unilateral da estória, na maioria das vezes, carregada de emoção, mágoas ou incertezas, não nos capacita a agirmos como conselheiros.

Isso não significa que você não possa opinar. Quero dizer que devemos ter bom senso. Será que meu conselho edificará ou servirá apenas para “colocar mais lenha na fogueira”? A solução que proponho é realmente a melhor? E mais: É realmente necessário aconselhar?

A mesma observação estendo às críticas.

Com o nome de “críticas construtivas”, muitos aproveitam para “derrubar” projetos, vontades e sonhos de outros. Será que a crítica construtiva realmente existe? Só se constrói algo quando o emissor propõe melhorias ao receptor, edifica e estimula os ânimos, auto estima e confiança.

O grande problema está também no “exagero da dose” de quem critica. Muitos deixam de lado a sutileza e bombardeiam pesadas críticas contra a vítima.

Certa vez vi um chefe fazer uma “crítica construtiva” a um de seus subordinados mais ou menos assim: – Acho que desse jeito que você fez não ficou bom. Você é capaz de fazer melhor. Ficou realmente ridículo. Parece que você não se esforçou o quanto podia e trabalhou com má vontade. Está ruim mesmo…

Analise a frase acima. Onde está a parte “construtiva” da crítica? Certamente o chefe se “empolgou” com seu discurso e simplesmente destruiu o sentimento de auto realização e criatividade do funcionário.

Assim sendo, proponho que você reflita acerca dos conselhos que você dá e das críticas que você faz. Pense muito antes de emitir quaisquer comentários desse tipo. Afinal, até na intenção de ajudar…podemos atrapalhar.

clube_autor_marcelo_de_elias


0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>