16/09 – Palestra: ”A realidade tributária e fiscal no Brasil e seu impacto nos Departamentos de Recursos Humanos – o aumento da interconectividade e da cooperação entre setores da corporação” com o Dr. Rodrigo Fonseca.

Local: Fagor Ederlan
Av. Nicolau Cesarino, 2297  – Extrema – MG (Próximo à Rodoviária)

Objetivos:

Demonstrar como o atual cenário tributário no Brasil tem impactado as relações internas dentro da empresa.

Tópicos:

Atualidade tributária no Brasil.

Principais setores afetados.

Interconectividade e cooperação.

Participação do setor de RH na prevenção de conflitos e congregação de esforços

Palestrante: Rodrigo Fonseca é conferencista, palestrante e consultor empresarial. Advogado especialista em Direito Econômico e Empresarial, com mais de 11 anos de experiência. É sócio das empresas RF Advogados e  Fisco Expert – Consultoria Contábil e Fiscal.

Acesse a programação completa e faça a sua inscrição aqui.

16/09 – Nosso encontro de Setembro – Clube de RH

16/09/2015 (quarta-feira) das 08h30 às 12h30
Local: Fagor Ederlan
Av. Nicolau Cesarino, 2297  – Extrema – MG (Próximo à Rodoviária)

ENCONTRO COM PRESENÇA LIMITADA DE 40 PESSOAS

Programação

08h30 – Credenciamento. Obs: Chegar com antecedência para credenciamento na portaria da Empresa.

08h45 – Boas vindas da Coordenação
Recados gerais sobre o Clube de RH.

09h00 - Objetivos e Resultados dos Planos de Ações em andamento: Ações referentes à NR 12, Universidade Corporativa, Redução do Absenteísmo e Sinistralidade, dentre outros.

09h30 – Planos de Ação para Adequação às Normas da NR 12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos.

10h30 – Café de relacionamento.

11h00 –  Palestra:  ”A realidade tributária e fiscal no Brasil e seu impacto nos Departamentos de Recursos Humanos – o aumento da interconectividade e da cooperação entre setores da corporação” com o Dr. Rodrigo Fonseca.

12h30 – Sorteio de Brindes e Encerramento.

 

Quarta-feira, 16/09/2015 das 08h30 às 12h30

Contamos com a sua presença!

 

INSCREVA-SE AQUI!

 

O Método S.M.I.L.E. – Identificando Oportunidades de Descontração no Ambiente de Trabalho

Uma fez convencidos de que nossa Atitude para hoje será Positiva, passamos automaticamente para a próxima fase do Método SMILE:

 

S = Sorria

M = Mude de Atitude

I = Identifique Oportunidades

L = Lidere Positivamente

E = Envolva e Execute

 

Todos aqueles benefícios e muitos outros adquiridos com uma mudança para Atitude Positiva, com certeza nos estimulam a identificar oportunidades de descontração responsável e produtiva em nosso ambiente de trabalho, o que representa o próximo passo em nosso Método S.M.I.L.E.

 

Antes porém, devo ressaltar mais uma vez a importância do equilíbrio. O que defendo não é que devemos estar o dia inteiro bem-humorados e nem uma empresa 100% bem-humorada, até porque, com certeza ambos não resistiriam à competitividade frenética do mercado, como também, não sobreviverão caso sejam 100% mal-humorados. E o Método S.M.I.L.E. busca justamente este equilíbrio.

 

Pois, existem várias oportunidades de descontração em nosso ambiente de trabalho que se bem aproveitadas, podem proporcionar um Programa de Descontração Sustentável durante todo o ano, desde que bem gerenciado, é claro. Trata-se de uma iniciativa inovadora e até certo ponto corajosa, pois requer persistência, maturidade e atenção, para que não se torne uma bagunça corporativa.

 

Para evitar este tipo de problema, recomendo a formação de um comitê multidisciplinar, que tenha a legitimidade para propor ações e corrigir rotas com o objetivo de manter o ambiente de trabalho leve, descontraído, mas também, motivado e produtivo. Esse comitê será liderado por um CSO – Chief Smile Officer ou CHO – Chief Happiness Officer (podem acreditar: estas funções existem realmente!), que idealmente deverá ser da área de Recursos Humanos.

 

Sem dúvida criar a cultura da diversão no ambiente de trabalho é possível, e também desafiadora, na medida em que os líderes percebam seus benefícios e permitam que se manifestem. A questão chave está obedecer a quatro pilares muito importantes, para permitir-se a diversão responsável e produtiva no trabalho:

 

1 – ATENÇÃO PARA O MOMENTO CERTO DA DIVERSÃO: pois não dá para se divertir por toda a jornada de trabalho e em todos os dias da semana. Devemos identificar no calendário anual as datas propícias às celebrações coletivas;

 

2 – SÓ BRINQUE COM AS PESSOAS CERTAS: uma vez que todos temos formas diferentes de manifestar o bom humor e devemos ser respeitados em nossa individualidade e diversidade;

 

3 – PROCURE O LOCAL CERTO PARA A DESCONTRAÇÃO: não dá para se descontrair no meio do salão ou departamento, pois isso atrapalharia a concentração de nossos colegas. Uma boa ideia é instalarmos numa sala de reuniões, uma TV ou até mesmo um videogame interativo. O local do café também é um ótimo espaço propício à interação divertida entre os colegas. Determinadas empresas investem grandes quantias de dinheiro para decorar salas de forma a torna-las o máximo atrativas e relaxantes possível; e,

 

4 – DIVIRTA-SE NA MEDIDA CERTA COM BOM SENSO DO HUMOR: pois brincadeiras de mau gosto e fora de hora e contexto, podem gerar um passivo trabalhista perigoso, com o surgimento de ações de Assédio Moral, tão frequentes especialmente durante as Convenções de Vendas, como veremos mais adiante. Aliás neste ponto é importante destacar o que “Não é Bom Humor”:

 

      Rir compulsivamente e muito alto

      Aplicar apelidos pejorativos e discriminatórios em todos colegas

      Contar Piadas em excesso e preconceituosas

      Falar de forma velada o que se quer com a desculpa de que “É só uma brincadeirinha !!!”, etc

 

Portanto, saiba dosar o nível do humor e aplicá-lo dentro do contexto e forma responsável, principalmente se você for o Líder. Cuidado com o Assédio Moral!!

 

Esse é o tema de uma das minhas principais Palestras que visa preparar preventivamente as Empresas e Organizações a fim de minimizar ou até mesmo evitar um passivo judicial originado por ações trabalhistas de Assédio Moral, o qual todos sabemos que ainda não é crime, mas vem gerando um onda crescente na Justiça Trabalhista de ações judiciais devido à rotineira ocorrência dentro das empresas.

 

E, existem várias maneiras de evitarmos este tipo de passivo judicial, em especial, o trabalhista. Recomendo à você adotar, dentre todas que pratiquei, aquelas principais que adotei durante aproximadamente 30 anos que estive à frente da área de RH e Jurídica Trabalhista, ora como advogado, ora como gerente, ora como ombudsman interno.

 

Dentre as práticas destaco as seguintes:

 

         Treinamento Contínuo de Prepostos – uma vez que o processo judicial sempre recai sobre a empresa, por conta da sua responsabilidade objetiva neste caso, ou seja, a empresa é sempre a responsável pelos seus empregados;

 

  •   Código de Ética/Regulamento Interno – devendo trazer capítulo específico tratando do tema de forma a que nenhum empregado possa alegar desconhecimento das regras e princípios do programa de descontração corporativa.;

 

         Canais de Comunicação Aberta e Direta – um instrumento muito útil não só para o empregado se manifestar quando sentir-se incomodado com determinadas brincadeiras ou abordagens, como também para a empresa, que tem nestes instrumentos uma prova importante para demonstrar sua boa fé e poder de direção.

 

         Auditoria frequente – pois é sabido que “o que não se mede se perde!”. E podemos medir o bom humor nas organizações. Eu garanto que sim!

 

Mas para que tudo isso se concretize e funcione devemos ter total apoio da alta liderança e para isso passamos ao próximo passo do Método S.M.I.L.E. que é o da Liderança Positiva.

 

 Feira do Empreendedor Sebrae 2015 Marcelo Pinto, o Palestrante do Bom Humor e filantropicamente conhecido como Doutor Risadinha, é Advogado Trabalhista e Gestor de RH, estando à frente da MP Assessoria Empresarial. Gelotólogo e Autor dos livros “Sorria, você está sendo curado” (Ed. Gente) e “O Método S.M.I.L.E. para Gestão do Humor no Ambiente de Trabalho” (Ed. Ser Mais). Mantenedor do site www.palestrantedobomhumor.com.br e do blog Espaço do Riso http://doutorrisadinha.blogspot.com.

Talento não compensa comportamento “tóxico” de profissional

Fofocar, culpar os outros e ter uma atitude negativa ou agressiva são algumas das características que mais tornam profissionais “tóxicos” para o ambiente de trabalho, segundo um levantamento. A maioria dos funcionários considera que a presença de colegas assim atrapalha o trabalho — e acha que as empresas não fazem o suficiente para evitar essa situação.

A pesquisa foi realizada pela empresa de desenvolvimento de liderança e treinamento Fierce, e teve a participação de 500 profissionais americanos. Para eles, a atitude que mais contribui para um colega ser considerado prejudicial ao ambiente de trabalho é a negatividade (41%), seguida da passivo-agressividade (32%). Cerca de 10% acham que culpar sempre os outros e fofocar sobre os colegas são comportamentos mais tóxicos, enquanto 6% consideram a preguiça a pior ofensa.

Independentemente da atitude mais condenada, 88% funcionários concordam que o talento ou habilidade especial do profissional não compensam os aspectos negativos de um colega considerado “tóxico” para o ambiente como um todo. Entre os gestores, entretanto, apenas 40% considerariam demitir um funcionário por causa da atitude negativa.

Para a presidente da Fierce, Susan Scott, contudo, a resposta não é excluir os profissionais considerados tóxicos pelos colegas, e sim investigar as razões de esse comportamento aparecer — entre os motivos podem estar a sensação de não ser valorizado pela companhia, falta de reconhecimento ou conflitos interpessoais. A pesquisa apontou, por exemplo, que mais da metade dos profissionais discutem com colegas de trabalho pelo menos uma vez por mês, e muitas vezes esses conflitos acabam não-resolvidos.

“Há um descompasso entre a opinião que funcionários têm de seus colegas e a sua percepção de como a liderança lida com a situação”, diz Susan. Após a empresa identificar as origens dos comportamentos negativos, a recomendação da presidente é apostar em uma comunicação transparente e em uma cultura que reconheça o trabalho realizado por todos os funcionários.

Essa notícia foi publicada no site do Valor Econômico, em 31/07/2015

Como chegar ao Centro de Especialidades da Unimed Sul Mineira – Extrema/MG

Local: UNIMED SUL MINEIRA (Centro de Especialidades Unimed Sul Mineira)
Rua Vereador José de Oliveira, 51 – 5º andar – Jardim São Cristóvão – Extrema – MG (ao lado do Hospital São Lucas)

unimed extrema mapa

 

Chegando em Extrema pela Avenida Nicolau Cesarino, entre à direita na segunda rotatória e logo mantenha-se à esquerda para seguir pela Rua França. No quarto cruzamento da Rua França dobre à direta e entre na Rua União Soviética, em seguida vire à esquerda na Rua Vereador José de Oliveira (no Google Maps: Rua Dois*) e siga até o próximo cruzamento com a Rua Mauri Bueno de Andrade (no Google Maps: Rua São João*). Você chegou ao Centro de Especialidades da Unimed Sul Mineira em Extrema.

*Observação: Google Maps a coordenada é a esquina da Rua Dois com a Rua São João.

Unimed Sul Mineira – Centro de Especialidades de Extrema